Instagram Youtube
Metalhorse
Metal Horse Lotse

ARMAGEDDON 2021 | 6ª EDIÇÃO

Data: 19/11/2021 a 20/11/2021.

Local: Autódromo de Curitiba - Pinhais - PR - 201 Metros.

Isto é Armageddon!


Com disputas incríveis, o Armageddon se apresenta pela primeira vez em Curitiba para delírio dos fãs da lendária pista de arrancada ícone do mundo drag Racing no Brasil. O grande vencedor foi Mario Antunes da Lista Área 17, equipe Gêmeos Racing


Texto: Rodrigo Vieira

Fotos: Edmar Autodynamics e Thabita Autodynamics

Vídeos: Thaíssa Autodynamics


O Armageddon é aquele evento que “só acaba quando termina”. E isso quer dizer muitas coisas que vamos explicar no decorrer deste texto. 

Quando esta competição acontece no templo do Autódromo Internacional de Curitiba, a tensão e pressão para vencer é ainda maior. 

Isto acontece pois tudo indica que o autódromo irá terminar e não haverá outra chance para vencer ali. Mas este texto não tem a intenção de falar sobre essa situação e sim exaltar algo que a reta situada na cidade de Pinhais sempre respirou: arrancada.

Desde os anos 80, a pista foi palco de grandes histórias. Foi nela que se iniciaram as competições de 402 metros no Brasil. Naquela reta passaram os maiores nomes da arrancada brasileira e foi nela que vimos a arrancada deslanchar e se tornar um grande e popular esporte. 

Os Festivais eram esperados o ano inteiro e as provas do Campeonato Paranaense de Arrancada sempre eram acompanhados por milhares de pessoas nas arquibancadas. Uma história que a Autodynamics viveu durante mais de 20 anos como site e também como expectador. 

O Armageddon foi a competição para lembrarmo-nos de toda esta história!

Entre os dias 19 e 20 de Novembro de 2021, a lendária reta do autódromo de Curitiba recebeu a 6ª edição do Armageddon. A competição coloca frente a frente 128 melhores carros de listas de todo Brasil. Não existem classificatórias. Alinhou, perdeu, vai pra casa.

As atividades de pista começaram com treinos livres de sexta feira. Nestes treinos os pilotos conhecem a pista e, claramente, algumas rivalidades se enfrentam já durante os treinos. Este é o espírito das listas e do Armageddon: rivalidade. Os tempos são consequência. 

Porque os tempos são consequência?

O Dodge de Mario Antunes, vencedor da competição, não foi o mais rápido do evento. Tivemos Gol 4 x 4 com o mesmo tempo de V8. Tivemos 4 cilindros muito mais rápido que muitos V8 e 6 cilindros, assim como tração dianteira ou tração traseira também mais rápidos que – por exemplo – o vencedor da corrida. Também diversos carros com tração dianteira que estavam mais rápidos que carros com tração traseira. Por isso que os tempos não importam no Armageddon e sim quem passou na frente. 

Os tempos dos carros nunca são mostrados para o público. São enviados para os preparadores e pilotos que os usam como parâmetros. 

Favoritos

Lógico que existem alguns favoritismos por pura experiência e desenvolvimento, mas em competição onde todas as largadas são eliminatórias e não temos tratamento de pista, tudo pode acontecer. Não existe uma segunda chance. Alinhou, perdeu, vai para casa. Alinhou, venceu, avança de fase. 

Jader Krolow, estreante no Armageddon, equipe Boss Drag Racing era grande promessa. Mas foi eliminado pela experiência de Josemar Hudema na "reação no prep".

A temida Área 43 era a área a ser batida. Com dois campeões e um bicampeão, a área do interior do Paraná foi derrubada um a um e o bicampeão Josemar Hudema foi eliminado por ele mesmo ao queimar a largada. 

Por isso que dizemos que “Só acaba quando termina”: Para poder pular na frente ao lado de carros muito parecidos, é preciso ser rápido na reação. Esta pode ser a única vantagem que você terá para o seu adversário na puxada. A chance de queima de largada é imensa quando se arrisca. Favoritos ficaram desta forma. Fabio Frosa, Gol 4 x 4 da Lista Área 45 caiu desta forma. 

Com o avanço das chaves, um clima incrível acontecia na pista. Um misto de nostalgia pela saudade dos tempos da arrancada com a comemoração inédita que acontece em cada puxada do Armageddon. Cada puxada é comemorada como uma final e assim o é, visto que trata-se de uma competição mata-mata. 

Neste quesito começaram a se destacar Rodrigo Perigoso com o Opala preparado totalmente para arrancada com cola. Mesmo assim, representando a Lista Área 46, um dos ícones brasileiros dos seis cilindros veio derrubando um a um, com direito a um imenso susto na reta: uma atravessada brutal foi controlada com muito contra esterço e um pingo imenso de sorte. Graças a Deus conseguiu salvar o carro e não chegou a bater no Gol da lista 41 que estava ao seu lado. 

Perigoso foi eliminado pelo anfitrião da casa: Helder Gandolfo, mesmo com equipamento limitado e sempre na busca do acerto para a modalidade sem cola, veio derrubando um a um com muita experiência para defender a Lista Área 41. Uma super torcida gritava seu nome, um nome que sempre esteve presente na história dos dragsters e V8 que estiveram na reta de Curitiba. 

Paralelamente, Mario Antunes vinha eliminando um a um com o Dodge equipado com motor Chevy importado da Shafiroff, um 540” a gasolina e sobrealimentado com óxido nitroso. Constante na tocada, já havia se destacado no Armageddon Balneário Camboriú (SC) e veio pra Curitiba com força, sempre assessorado pelos irmãos Leonardo e Leandro Pereira da Gemêos Racing de Uberlândia (MG). 

Temos grande carinho por esta carroceria, pois brilhou muito tempo nas mãos de Lincoln Cheib e depois de Eduardo Araújo, Foquinha. Aquele cofre recebeu small block e chegou a funcionar com um legítimo big block HEMI. Recebeu uma super solução com o Chevy que não tirou o brilho do carro conduzido com maestria por Mario, representante da Lista Área 17, interior de São Paulo. 

A puxada final aconteceu em um clima de loucura total! Todos na pista ansiosos, a torcida da casa era pra Helder Gandolfo. Mas Helder teve um problema de câmbio logo após o burnout para a puxada final e quase não conseguiu alinhar com o Camaro com blower. Mesmo com problemas e alinhando em 2ª marcha, arrancou forte, mas não foi páreo para o Dodge de Mario Antunes que levou pra casa um prêmio de 60 mil reais e o fato de ter entrado para a história do Armageddon por desbancar a invencibilidade da experiente lista Área 43. 

Armageddon é uma das coisas mais incríveis já vistas no mundo da arrancada brasileira. Nunca se viu tanta comemoração, tanta vibração e tanta rivalidade. 

Isto é Armageddon. Isto é Autodynamics. Ambos se completam. 


« Voltar